quinta-feira, 8 de março de 2012

Cine Colher - A vida em preto e branco

E saímos das nossas férias, colherada! Sim, nós estamos de volta! A gente parece até a galera de Caverna do Dragão né? Sempre parece que a gente vai voltar de verdade, mas sempre dá uma merda no meio do caminho. Eu culpo a Uni por isso! E por que não celebrar com o retorno (e ainda por cima antecipado, ora vejam só!) de uma das melhores colunas do Colher de Sopa? Vamos ao filme de hoje, meninos e meninas.

Eu assisti esse filme pela primeira vez tem muito tempo, e recentemente eu o reassisti pra poder escrever esse post. Nem todo mundo conhece essa minha recomendação, mas vão por mim: esse filme vai divertir vocês.

Título: Pleasantville: A vida em preto e branco (Pleasantville)
Ano: 1998
Gênero: Comédia/Drama (ou Dramédia)
Diretor: Gary Ross





A premissa do filme é extremamente simples, e é por isso mesmo que ela me agrada tanto. David (Tobey Maguire) e Jennifer (Resse Whiterspoon) são dois irmãos adolescentes em plenos anos 90 (esperem ver muitos estereótipos noventistas) que não têm muito a ver um com o outro. Ela é popular na escola, faz sucesso com os garotos, e ele é um nerd hardcore que curte assistir TV e sonha em ser o Homem-Aranha (só os fortes entenderão). O programa de televisão favorito de David é Pleasantville, um daqueles seriados americanos dos anos 50 que retratam a vida pacata de uma típica família americana num típico subúrbio americano. Eis que, por uma ironia do destino (conhecida também por lei de Murphy), no meio de uma maratona de Pleasantville e de um encontro de Jennifer, os dois irmãos se vêem magicamente transportados para dentro do mundo dessa série assumindo o papel dos protagonistas. Agora eles vão ter que se adequar a esse universo estranho antes de serem capazes de escapar.


Não sei se vocês repararam, mas esse enredo tem tudo para se transformar num filme genérico de comédia da Sessão da Tarde. Mas ao longo da fita a gente percebe que a adaptação dos personagens a esse estranho mundo "novo" não é tão simples quanto imaginávamos. Jennifer e David não demoram a descobrir que as impressões de perfeição que a série guarda são legais de ver apenas pela televisão, e que a vida real nada tem de perfeita, mas nem por isso deixa de ser fantástica, mesmo nas coisas mais simples como liberdade de expressão, desapego aos paradigmas da sociedade de padrões comportamentais e sexo. E é justamente nesse ponto que o filme perde sua roupagem de comédia para assumir um aspecto um pouco mais dramático e sério. E isso ocorre de maneira muito fluida e madura. Em momento algum a gente deixa de comprar as motivações dos personagens e nem o desenrolar da trama.

Eu devo adiantar outra coisa bastante importante pra vocês: boa parte do filme se passa em preto e branco, já que eles estão dentro da tal série. Por isso mesmo a galera do figurino e fotografia merece um destaque; fazer filme em preto e branco não é tão fácil quanto parece! As cores certas têm que ser usadas para que a percepção das cenas não seja comprometida, assim como a iluminação deve ser sempre adequada. Destaque tem que ser dado também às atuações. Sim, eu gostei bastante do Tobey Maguire nesse filme, apesar do ódio que as pessoas nutrem por ele depois de Homem Aranha 3. E tem a Reese Whiterspoon guria né... o que eu posso dizer. Mas fantástico mesmo tá o pessoal do núcleo "anos 50" do filme. Atuações retrô na melhor pegada, posso garantir!


Enfim... é uma excelente diversão com risadas garantidas e ao mesmo tempo profundidade de enredo. Recomendo pra esse final de semana. Nos vemos na próxima sexta! o/




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
▲ Ir para Topo